Blog

9 fevereiro 2017

O desafio de avaliar na Educação Infantil

 

Descomplicando a educação na primeira infância

 

Gostando ou não, fazer avaliações na primeira infância é um desafio para nós, professores, pois temos que considerar os princípios educacionais para tal, nesta fase inicial é necessário deixar a criança ter contato com pessoas e objetos, deixa-la criar significados e se associar como pessoa à cultura. Isto é feito por meio da brincadeira, na qual ela se junta aos costumes e hábitos da sociedade que está inserida.

 

Os conhecimentos e práticas devem permitir aos pequenos aprenderem e criarem valores sobre suas capacidades, de modo a se reconhecer como um ser que produz história e é capaz de descobrir coisas sobre o mundo. Afinal, na Educação Infantil, a criança está em processo de desenvolvimento, crescimento e de aprendizagem, não se pode esquecer disso em momento algum.

 

Na hora de avaliar a criança no período em que esteve na instituição de ensino, deve-se levar em consideração seus esforços individuais e demonstrar como foram seus processos de aprendizagem, por isso fazemos o uso do Portfólio para apresentar todos os registros feitos pelos educadores e até das crianças – desenhos podem ser considerados uma das melhores formas dos pequenos se expressarem quanto aquilo que estão fazendo ou que aprenderam, então, NÃO DESCARTEM NADA!

 

Profa. Ms. Michelle Mayara Praxedes Silva
Profa. Ms. Renata Miranda de Araújo
contato@enfaseeducacional.com.br

 

 

Existem vários tipos de instrumentos para documentar as atividades feitas, quanto mais você usá-los para registar os avanços dos pequenos alunos melhor será o resultado quando exposto à família e para a própria criança. A avaliação na Educação Infantil é movida pelas observações dos educadores diante das características singulares do (incrivelmente) jovem aprendiz e de suas interações com os demais e àquilo que está ao seu redor, logo, entendemos que estes olhares para a criança deverão constar no registro por mostrar como ela é enquanto atuante na instituição.

 

As atividades promovidas que vão para o Portfólio buscam verificar tanto professores quanto alunos durante o processo educativo, ou seja, apesar de ser direcionado a criança, as avaliações feitas dos registros servem para analisar os educadores e suas iniciativas no desenvolvimento infantil. Há uma associação de conhecimentos dados e recebidos respectivamente, não se pode ter aquele que ensina como somente um mediador da criança, é necessário ver como ele propõe às práticas para fazer seu pequeno aprendiz auto avaliar suas conquistas e perdas.

 

Por isso, segundo as DCNs sobre avaliação na Educação Infantil, temos que “criar procedimentos para acompanhamento do trabalho pedagógico e para a avaliação do desenvolvimento das crianças, sem objetivo de seleção, promoção ou classificação (…)” (BRASIL 2010, p.29).

 

ATUA NA EDUCAÇÃO INFANTIL?

Receba GRATUITAMENTE em seu e-mail uma excelente Série de Vídeos para auxiliar a sua PRÁTICA PEDAGÓGICA na EDUCAÇÃO INFANTIL!

 

 

 

 

PARA ENSINAR É PRECISO PRIMEIRO SABER COMO SE APRENDE

 

A criança está em processo de desenvolvimento e aprendizagem, por isso o tempo de uma criança não é igual a outra, cada uma vai levar um período que pode ser demorado ou não para reconhecer suas habilidades motoras, perceber o uso social de objetos ou reconhecer a si mesmo e ao outro nas interações sobre as particularidades sociais e históricas na realidade em que vive.

 

Cabe ao professor estimular a mente da criança nesta fase para ajudá-la a observar o mundo de um jeito social e mostrar suas visões particulares. Tenha em mente que as brincadeiras incentivam os pequenos a entender regras e o que poderia ou não ser feito na sociedade, por isso os educadores precisam investir em atividades que, além de promoverem diversão, consigam fazer as crianças entenderem como o mundo funciona.

 

Sabendo que cada aluno aprende de uma forma diferente e leva um certo tempo para desenvolver cada atividade, os professores têm que sugerir ações para auxiliarem na aprendizagem e que respeitem o período de crescimento de cada um. Entender como transmitir seus conhecimentosde um jeito simples para os jovens aprendizes é importante para os profissionais da educação infantil.

 

Pensando na aplicação de seus conhecimentos para fazer a mente das crianças os assimilarem, é urgente a construção de um instrumento avaliativo que considere as relações históricas dela, com suas formas de aprendizado e a criação de sua própria subjetividade, ou seja como cada criança lê o mundo, para reunir tudo isso e associá-los com a unidade educativa e família.

 

MAS, COMO CONSTRUIR ESTA AVALIAÇÃO?

 

 

Basicamente o mecanismo para construir avaliações na Educação Infantil consiste em:

1) observar;

2) registrar;

3) avaliar.

Cada etapa necessita da(s) etapa(s) anteriores para ser efetiva à construção de uma percepção real e de qualidade de cada criança a ser avaliada.Vejamos:

 

Observar

 

É a base para criar condições de avaliar as crianças, a capacidade de observar as características de cada uma delas e a partir de conhecimentos específicos sobre a infância perceber como cada infante percebe e interage com o mundo social e cultural a sua volta. As DCNs dizem que precisamos ter uma “observação crítica e criativa das atividades, das brincadeiras e interações das crianças no cotidiano”(BRASIL, 2010, p.29). Por isto é importante o professor ter clareza sobre as características da infância, pois para construir uma observação crítica é preciso saber o que se está sendo observado.

 

Registrar

 

Segundo as DCNs a “utilização de múltiplos registros realizados por adultos e crianças (relatório\registros, fotografias, desenhos, materiais […](BRASIL, 2010, p.29) – acréscimos nossos), se mostra de extrema importância para o desenvolvimento de práticas coerentes com uma visão reflexiva de professores envolvidos e preocupados com a Educação Infantil.

 

Relatórios\Registros

 

A partir da observação crítica o professor terá condições de registrar às características de cada criança; demonstrar como é a interação dela com outras pessoas e as especificidades destas relações com cada faixa etária; como a criança elabora os significados culturais dos objetos, se ela é rígida com estes significados ou se ressignifica; como ela se relaciona com o espaço educativo, sala, parque, brinquedoteca, sala de artes, jardim, e outros; se a(s) criança(s) dá novos valores sobre o mundo sócio histórico que lhe envolve.

 

Estas anotações e relatórios, preferencialmente diários, resultam na contínua avaliação da criança, que vai demonstrar as relações que ela tem consigo própria e, com o passar do tempo,a somatória destes registros vão se transformar na história de aquisição do conhecimento de cada criança conforme o professor organiza e sistematiza seus registros. Estes poderão ser utilizados tanto no relatório final do aluno quanto ao longo do Portfólio e será a parte escrita da avaliação na Educação Infantil.

 

Fotografias

 

A fotografia não tem como foco mostrar como as crianças são fotogênicas, ainda que as professoras tenham ótimas capacidades artísticas, o foco é demonstrar e registrar práticas vinculadas a aprendizagem da criança, o momento especial de um passeio, a culinária, a brincadeira, a produção de um brinquedo que ficará na instituição ou vai para a casa da criança.

 

É eternizar o instante em que a curiosidade, a persistência, a concentração, a tentativa (mesmo que não seja como o esperado), jogos de roda, e qualquer proposta de experiência. Deste modo a fotografia vai constar no registro do momento de uma aprendizagem, da capacidade de unir a teoria e o conhecimento sobre alguma coisa de interesse da criança e a prática desta coisa.

 

Desenhos

 

Do prazer de rabiscar à capacidade de pensar e registrar o pensamento, o eu da criança é demonstrado por meio do desenho. O ser humano vem se representando e se comunicando ao longo de sua história atravésdo desenho e das letras respectivamente, a partir disso podemos perceber o quão importante o desenho é para o ser humano; para crianças pequenas ele é o meio pelo qual elas podem expressar suas interpretações sobre o mundo.

 

A escrita é algo que gera muita curiosidade nas crianças, desta maneira o desenho é a primeira experiência dela com a escrita, é o brincar de escrever e de registrar as próprias impressões sobre fatos, pessoas, espaços, sentimentos. O desenho acontece em qualquer superfície em que a criança consiga mostrar seu ‘eu’ de alguma maneira – no chão com giz, no quadro, no papel, na areia, na massinha de modelar… Enfim, em qualquer superfície que se possa colocar os signos gráficos e produzir a linguagem escrita.

 

Materiais

 

Aqui vale a ideia da produção criativa com e da criança por meio dos mais diversos materiais, como gravetos, folhas, pó de giz, massa de modelar, tecido, quebra cabeças, lixas de parede em formatos diversos, brinquedos.As produções criativas da criança, se necessário, ocorrem pela mediação do professor.

 

Avaliação

 

A avaliação é a soma da observação e dos registros feitos pela e para a criança, de modo permitir que o crescimento, a aprendizagem e o desenvolvimento dela fiquem registrados. Portanto, deve haver a continuidade do processo avaliativo, bem como um instrumento adequado para organizar os registros, sendo o mais comum e provavelmente mais adequado, o PORTFÓLIO.

 

Além de ser um critério previsto em lei, é responsabilidade do professor a elaboração de instrumentos que consigam:

 

1) Registrar o percurso realizado
2) Dividir os avanços com as famílias

 

Neste caso, temos o Portfólio como um instrumento recomendado para avaliação, uma vez que é composto pelos registros feitos pelo professor sobre os processos de aprendizagem do grupo como um todo e de cada criança em particular. O documento com o percurso trilhado pelas crianças dá ao educador informações preciosas sobre ensino e aprendizagem, além do acompanhamento simultâneo das progressões e dos desafios enfrentados por elas.

 

Àqueles que ainda têm dúvidas sobre as DCN’s podem encontrar PDF’s no próprio site do Ministério da Educação ou ver aqui sobre o Parecer 20 e Resolução 5.

 

 

AVALIAÇÃO NA EDUCAÇÃO INFANTIL?

Clique AQUI e saiba tudo sobre Portfólio!

 

 

Referências

BRASIL. Ministério da Educação.Secretaria de Educação Básica. Diretrizes Curriculares Nacionais para a Educação Infantil/Secretaria de Educação Básica. Brasília: Conselho Nacional de Educação Básica – MEC, SEB, 2010.

______. Ministério da Educação. PARECER CNE/CEB n°20/2009 de 11 de novembro de 2009. Diretrizes Curriculares Nacionais para a Educação Infantil. Brasília: Conselho Nacional de Educação Básica – CEB. Dez.2009.

______. Ministério da Educação.Resolução n° 5\2009. Diretrizes Curriculares Nacionais para a Educação Infantil. Brasília: Conselho Nacional de Educação Básica – CEB. Nov. 2009.

LOPES, A. C. T. Educação Infantil e registro de práticas. São Paulo: Cortez, 2009.

 



Posts Populares