Blog

14 outubro 2017

Na Prática: Como inserir a Música na Educação Infantil

Por que devemos utilizar a música em nossas práticas pedagógicas?

 

A Musicalização no processo de ensino-aprendizagem auxilia no desenvolvimento da sensibilidade estética e emocional da criança, não apenas o ato de cantar ou ouvir um som, a música na Educação Infantil tem a finalidade de potencializar a criatividade, a capacidade de se concentrar, aumento do repertório, além de ajudar na memorização e facilitar no aprendizado matemático.

 

Deixar a criança ter contato com os sons é garantir, de certa forma, que elas conheçam “a si próprias, aos outros e à vida […] não se passa um dia sem que […] as crianças não ouçam ou participem em música […] é através desta percepção que a vida ganha mais sentido” (GORDON, 2000, apud SOUZA; JOLY, 2010).

 

 

 

Dessa maneira nota-se que o uso da música na aprendizagem é muito significativo, porém é necessário se atentar na forma como se usa a sonorização na Educação Infantil, pois se ela não tiver uma finalidade, um objetivo a ser alcançado, o aprendizado perde sua função tornando as atividades mecânicas e sem fundamento algum.

 

Godoi (2011) afirma que o ensino da “música tem relação com a percepção e sensibilidade do professor em perceber como esta pode ajudar em sua sala”, entendemos assim que para qualquer prática musical, é preciso ter propósitos desde o início e os educadores, atentos aos seus alunos, analisarão as melhores formas de trabalha-la durante as aulas respeitando suas limitações.

 

De acordo com Costa; Valle (1970), para a aprendizagem acontecer em qualquer meio e atividade, ela precisa passar por três estágios – nível de maturidade, motivação e situação de aprendizagem – e quando proporcionados conseguem ser efetivos no desenvolvimento do infante.

 

VOCÊ NÃO APRENDEU A AVALIAR NA EDUCAÇÃO INFANTIL?

CLIQUE AQUI e garanta AGORA MESMO a sua vaga em nosso curso de AVALIAÇÃO INFANTIL, 100% online que você pode cursar DE ACORDO COM A SUA DISPONIBILIDADE e na comodidade da sua casa!

 

Por isso é recomendável o uso da música para ser o fio condutor da criança até chegar ao primeiro estágio, pois ela “auxilia particularmente a coordenação motora”, visto que realizar práticas corporais envolvendo o som ajuda na assimilação do aluno com a tarefa; “a acuidade auditiva, a acuidade visual, a memória, a atenção, etc” (COSTA; VALLE, 1970, p.13).

 

No segundo estágio (motivação), a música é utilizada como fonte de satisfação, aceitação em grupo, segurança e auto expressão da criança ao ouvi-la (COSTA; VALLE, 1970). A questão da música neste contexto parte não somente de escutar algo cantado, mas o som de qualquer forma que desperte prazer e curiosidade nos alunos, é importante ressaltar isso, com base nas possíveis práticas realizáveis com eles.

 

O terceiro estágio (situação de aprendizagem) utiliza a música como forma de “criar um ambiente favorável para o que se deseja ensinar, uma vez que ela é sempre agradável às criança” (COSTA; VALLE, 1970, p.14). Dando um significado para o uso do som, os professores podem ensinar atividades motoras, sensoriais e cognitivas por meio da Musicalização, compreender a importância deste recurso no desenvolvimento do aluno é indispensável.

 

O ensino de música nas escolas […] pode contribuir não só para a formação musical dos alunos, mas principalmente como uma ferramenta eficiente de transformação social, onde o ambiente de ensino e aprendizagem pode proporcionar o respeito, a amizade, a cooperação e a reflexão tão importantes e necessárias para a formação humana” (SOUZA; JOLY, 2010).

 

ASSIMILE:  MUSICA + CRIANÇA = SENSIBILIDADE ARTÍSTICA E ESTÉTICA. DESENVOLVIMENTO DAS ESTRUTURAS COGNITIVAS.

 

Um ponto que os professores precisam levar em consideração antes de introduzir a Musicalização nas aulas, é aquilo que a criança já conhece a respeito da música, elas já têm um conhecimento prévio e isto não pode ser descartado.

 

O “professor deve tomar isso como ponto de partida, incentivando a criança a mostrar o que ela já entende ou conhece sobre esse assunto, deve ter uma postura de aceitação em relação à cultura que a criança traz” (GODOI, 2011, p.18).

 

Isto é importante para os educadores se atentarem na hora de planejar as aulas, pois poderão trazer músicas, instrumentos (se foi viável) e sons que os alunos já conhecem para a partir daí apresentar algo novo, diferente. Porém, além disso, ter ciência daquilo que a criança já sabe minimiza as chances de não dar importância ao meio sociocultural dela, algo que “pode levá-la ao desinteresse pela educação musical” (GODOI, 2011, p.18).

 

VOCÊ SENTE DIFICULDADE NA HORA DE AVALIAR AS CRIANÇAS?

CLIQUE AQUI e garanta AGORA MESMO o e-book Desafios de Avaliar na Educação Infantil, 100% GRATUITO com dicas para te ajudar na Avaliação de crianças pequenas!

 

A respeito das possíveis práticas musicais que podem ser realizadas na Educação Infantil, é necessário ressaltar o trabalho com as sensações de tristeza, alegria, angústia, euforia, entre outras, por meio dos sons que o professor irá proporcionar em sala. Porém, além disso, o ambiente no qual os alunos estarão interagindo passiva ou ativamente com a música, precisa dar liberdade para ele expressar essas emoções.

 

Elaborar jogos e brincadeiras que envolvam o cotidiano, fazendo-os produzirem os sons que já conhecem (o barulho ao escovar os dentes, o som da porta se fechando, o latido dos cachorros…) para auxiliar no desenvolvimento da criatividade é ótimo na Educação Infantil.

 

Procurar trazer práticas cantadas (roda e ciranda, por exemplo) a fim de ensinar conceitos também é algo fundamental nesta atividade. Trabalhar com filmes infantis, visando o conhecimento das músicas e dos sons produzidos ao longo da obra cinematográfica.

 

TENHA REPERTÓRIO PARA AS PRÁTICAS!

 

Como aponta Oliveira a “Musicalização é um processo de desenvolvimento para um aluno na construção do conhecimento musical com o objetivo de despertar e desenvolver o gosto musical da criança”.

 

Nunca se esqueça disso ao pensar nas atividades para desenvolver com eles, assim como não se pode deixar de lado que “música na educação infantil não se restringe ao aspecto musical, mas também aos aspectos cognitivo e motor, o que promove o desenvolvimento do sujeito no todo” (GODOI, 2011).

 

 

ACOMPANHE-NOS NAS REDES SOCIAIS

FACEBOOK        YOUTUBE
TWITTER

 

 

Escrito por: Bruna Lisboa, 14 de outubro de 2017.

Colaboração de: Profa. Ms. Michelle M. P. Silva e Profa. Ms. Erika Regiani.

 

Referências

GIRARDI, Giovana. Música para aprender e se divertir. Disponível em: < https://goo.gl/zUgE5G > Acesso em: 29/09/2017.

GODOI, Luis Rodrigo. A importância da música na Educação Infantil. Trabalho de Conclusão de curso. Londrina, UEL, 2009. Disponível em: < https://goo.gl/3nceEv > Acesso em: 29/09/2017.

OLIVEIRA, Lucas Simões de. A IMPORTÂNCIA DA MÚSICA NA EDUCAÇÃO INFANTIL. DISPONÍVEL Em < https://goo.gl/3cd24i > Acesso em: 29/09/2017. SOUZA, Carlos Eduardo de; JOLY, Maria Carolina Leme. A IMPORTÂNCIA DO ENSINO MUSICAL NA EDUCAÇÃO INFANTIL. Disponível em: < https://goo.gl/P3PmCj > Acesso em: 29/09/2017.



Posts Populares