Blog

30 abril 2016

Vamos falar sobre trabalho?

VAMOS!

 

E não há período mais propício, pois amanhã é 1º de maio, data em que comemoramos o Dia do Trabalho ou, ainda, o Dia da Confraternidade Universal das Classes de Trabalho.

 

 

Camila Lopes 192x192

Por Camila D. M. Lopes
Coach e Psicóloga
Parceira do Ênfase Educacional

 

 

É fato que a forma como nos relacionamos com o trabalho tem sofrido mudanças significativas com o passar do tempo.

 

Dessa maneira, o significado que damos para essa relação afeta a nossa vida como um todo – até porque, a mesma Camila que trabalha é a Camila filha, irmã, amiga, namorada, atleta de final de semana, fã de séries policiais, leitora de astrologia… (chega de exposição, né? Hahaha). E há ainda outros contextos que eu vivencio.

 

O sentido e o significado que o trabalho pode ter para cada um de nós são individuais, pois somos únicos e temos nossa história de vida e nossas próprias aspirações para o futuro. Por esse motivo, quero explorar com vocês três perfis profissionais diferentes, para observarmos como essas variáveis podem interferir no processo de escolha e vivência profissional.

 

Para muitas pessoas, o trabalho é apenas sinônimo de emprego, se resume a salário, a “Segundas-feiras tristes” e “Sextas-feiras felizes”.

 

Mais do que isso, o trabalho também pode ser fontes de relacionamentos, aprendizados, dinheiro, reconhecimento, contribuição social, dentre outras, a depender do que buscamos e acreditamos ser importante. Por vezes, tentamos nos encaixar em um determinado modelo que nem sempre atende nossas expectativas (e que muitas vezes nem sabemos quais são).

 

Por tudo isso, hoje vou ilustrar essas formas de trabalho e mostrar para vocês três exemplos de pessoas reais, com quem tive o prazer de cocriar, enquanto vivem momentos tão distintos entre si, para pensarmos sobre como a relação com o trabalho é individual, particular, e atende a expectativas pessoais.

 

 

 

EMPREENDEDORA

 

 

Gabrielle Pereira 200px-200px

Gabrielle Pereira
Empresária Buenos
Buenos Aires / Argentina

 

 

 

A Gabrielle é empreendedora digital (videias.com), e iniciou sua dedicação em tempo integral ao seu empreendimento em agosto/2015. Até então, tinha um trabalho, também no mundo digital, mas como funcionária de uma empresa. O rompimento com essa empresa não foi uma decisão dela, porém serviu de oportunidade para que ela pudesse decidir o que faria a partir daí.

 

Gabrielle pôde identificar quais eram seus principais valores, refletiu sobre o significado que o trabalho tem para ela, e em qual contexto poderia ser mais realizada profissionalmente.

 

Percebeu que ter liberdade para construir seu trabalho da forma como desejar é um valor fundamental.

 

Ela pôde então encontrar espaço para aplicar o que entende ser o significado de trabalho: “construir, organizar as coisas de forma a obter um resultado desejado e participar da sociedade e receber uma retribuição por isso”.

 

Nesse formato de trabalho, percebeu que “nem tudo são flores”, pois mesmo quando não se sente muito motivada, fazer as coisas “mais ou menos” não é uma opção, pois isso pode gerar consequências muito grandes quando se é dono do próprio negócio, às vezes até maiores do que quando se é empregado.

 

Também diz que se percebe com o trabalho na cabeça até tarde da noite, quando deveria estar se dedicando a outras coisas também, mas ainda é gratificante perceber que a estrutura de sua empresa reflete sua personalidade e seus aprendizados.

 

 

PRECISA DE APOIO ACADÊMICO?

Revisão TextualFormatação –  Abstract  – Slides

Orientação Particular de TCC  – Oficina de Projeto de Pesquisa

 

 

 

FUNCIONÁRIA PÚBLICA

 

 

Daine

Dayane Belentani Ribeiro
Funcionária Pública
Maringá/Paraná

 

 

Dayane é funcionária pública há 11 anos. Para ela, o trabalho no setor público garante estabilidade, o que considera muito importante.

 

Considera o principal significado de trabalho o desenvolvimento, pois acredita que sempre que se inicia em uma atividade, seja uma novidade ou apenas uma maneira diferente de fazer a mesma coisa, desenvolve seu intelecto.

 

E ainda, em relação ao desenvolvimento físico, fez um resgate histórico (adoro conversar com a Dayane porque ela sempre faz resgates históricos! hehe), e lembrou que a mão humana se desenvolveu através do labor, criando ferramentas e utensílios domésticos, confecção de peça e, portanto, tudo o que se faz envolvendo trabalho é uma oportunidade para se desenvolver.

 

Ela brilha os olhos também para o trabalho autônomo, por conta da flexibilidade de horários e porque acredita que fazer algo de que gosta muito pode ser bastante motivador, mas sabe que trabalhar muitas horas é uma realidade possível nesse formato profissional.

 

Algo importante a ressaltar sobre a Dayane é que ela deseja ter uma rotina de trabalho diferente da atual, com mais tempo para suas filhas e para si mesma. Porém, ao invés de sofrer por ainda não ter alcançado essa mudança, ela entende que o momento que vive é parte do processo para isso, o que dá ao seu trabalho um novo significado e uma nova forma de enxerga-lo, e faz com que sua relação com o trabalho tenha ainda mais sentido.

 

 

FUNCIONÁRIA DE EMPRESA PRIVADA

 

 

 

Ester de Sousa Tivo Soares 200px-200px

Ester de Sousa Tivo Soares
Administradora de Empresas
Maringá / Paraná

 

 

 

A Ester é uma Administradora de Empresas. Por 30 anos, trabalhou e se desenvolveu em uma empresa que viu crescer e ajudou a construir. Em 2015, decidiu que era o momento de desenvolver-se também, e buscar novos ares no mundo dos negócios.

 

Em busca de desenvolvimento constante, deu início a alguns projetos para desenvolver suas competências técnicas e comportamentais e investiu em tornar seu currículo ainda mais atrativo, para compensar sua preocupação com relação à experiência em uma única empresa.

 

Logo Ester se recolocou no mercado de trabalho, e mesmo tendo a oportunidade de desenvolver seu próprio negócio, ela entende que o modelo de vínculo que escolheu a proporciona estabilidade, o que considera muito importante, e acredita que é por meio de sua relação com o trabalho que exerce sua cidadania, sua dignidade e conquista seu espaço, além de fazer diferença na vida de outras pessoas e ter retorno financeiro para sustentar sua família.

 

Além disso, hoje em dia Ester não tem mais a atuação “mecânica” que já teve profissionalmente, mas entende que cada pessoa e inclusive ela mesma têm papel importante no contexto do trabalho.

 

Para ela, empoderar outras pessoas e buscar entender e valorizar a intenção positiva em cada gesto de sua equipe faz com que os resultados e metas da organização sejam alcançados, e ainda colabora para a construção de um ambiente mais amistoso.

 

 

COM QUAL PERFIL VOCÊ MAIS SE IDENTIFICOU?

 

Se identificou com algum dos perfis?

Ótimo.

 

Não se “encontrou” em nenhum?

Ótimo também.

 

Vivemos em um mundo plural, onde as nossas diferenças têm peso para que tenhamos oportunidade de contribuir, participar, modificar, construir.

 

Cada uma dessas profissionais passou/tem passado por um processo de autoconhecimento, com foco em seus objetivos, e planejaram o caminho para realizá-los.

 

Quero dizer para vocês que, para que façamos algo que gere resultado, com sentido e significado para nós, é preciso nos conhecermos, nossos recursos (materiais, técnicos, comportamentais, dentre outros), o que ainda não temos ou precisamos desenvolver, o que consideramos importante, e principalmente, saber o que queremos conquistar (perceber que queremos conquistar algo, já é alguma coisa! Rsrs).

 

Assim, temos melhores condições para planejar, agir, e então alcançar.

 

Hoje em dia, principalmente com a exposição nas mídias sociais, cada um quer mostrar – não necessariamente viver – sua melhor versão.

 

O que nós geralmente queremos é a felicidade, ou o sucesso, ou o dinheiro que as pessoas demonstram ter em seu trabalho, mas nem sempre queremos fazer o que fazem para alcançarem esses resultados. Podemos trabalhar com qualquer coisa, desde que entendamos o que isso pode proporcionar, e se temos as condições necessárias (ou disposição para criarmos essas condições).

 

Cada uma das profissionais que apresentei para vocês, vivenciou um processo especial, em um momento profissional e de vida completamente diferente um do outro, em que absorveram aprendizados fundamentais para irem aos lugares que desejam ir.

 

O Coaching as auxiliou a entender quais recursos e condições tinham desenvolvidos ou precisavam desenvolver, se autoconhecerem, identificarem qual o estado (ou a vida!) que gostariam de alcançar, e as ajudou a preparar e andar pelo caminho que as levou até esse objetivo.

 

Independente do momento em que você está vivendo, eu espero de coração que esse texto te leve a refletir sobre a relação que você tem com o seu trabalho hoje. Quem sabe ainda, que essa reflexão consiga ser aplicada à forma como você vive e administra seus relacionamentos, seus sonhos, seus projetos.       

 

Posts Populares