Revista Teorias e Práticas Educacionais

 

O periódico Revista de Teorias e Práticas Educacionais – RTPE é direcionado para publicações das diversas áreas relacionadas à Educação, como Didática, Pedagogia, Psicopedagogia, Filosofia, e demais áreas afins, com periodicidade trimestral, exclusivamente online, no formato Open Access Journal*, publicado em Língua Portuguesa pela Master Editora.

 

A RTPE destina-se à publicação de artigos originais, revisões atualizações da literatura, cartas, resenhas e ensaios inéditos.

 

A RTPE tem como público-alvo: estudantes de graduação e pós-graduação (Lato sensu e Stricto sensu), além de docentes e pesquisadores das áreas acima citadas.

 

Descrição breve das modalidades de textos aceitos para análise editorial

 

Artigos originais (até 12 laudas): incluem estudos controlados, randomizados, estudos observacionais, bem como pesquisa clássica.

 

Artigos de revisão/ atualização da literatura (até 12 laudas): devem ser avaliações críticas sistematizadas da literatura sobre determinado assunto. Devem ser descritos os métodos e procedimentos adotados para a revisão. O texto deve ser baseado em literaturas atualizadas. Tratando-se de temas ainda sob investigação, a revisão deve discutir as tendências e linhas de investigação em curso.

 

Resenhas (até 7 laudas): a resenha é uma abordagem que se propõe a construção de relações entre as propriedades de algo (tema/ assunto) analisado, descrevendo-o e enumerando seus aspectos relevantes. Assim, a resenha contempla textos de origem opinativa e, portanto, reúne comentários de origem pessoal e julgamentos do resenhador sobre o valor do que é analisado. Serão privilegiados os títulos de interesse acadêmico ou aqueles de interesse para o uso profissional, desde que não sejam casuisticamente específicos.

 

Ensaios (até 12 laudas): Ensaio é um texto literário breve, situado entre o poético e o didático, expondo ideias, críticas e reflexões éticas e filosóficas a respeito de certo tema. É menos formal e mais flexível que o tratado. Consiste também na defesa de um ponto de vista pessoal e subjetivo sobre um tema (humanístico, filosófico, político, social, cultural, moral, comportamental, literário, religioso, etc.), sem que se paute em formalidades como documentos ou provas empíricas ou dedutivas de caráter científico. O ensaio assume a forma livre e assistemática sem um estilo definido.

Por essa razão, o filósofo espanhol José Ortega y Gasset o definiu como “a ciência sem prova explícita“.

 

Qualis

Ciências Sociais Aplicadas I – C